fbpx
2021

House

Belém, Lisbon – Portugal

 

Authors

aspa / site

pt

A curta distância das ramagens espessas e copadas do Jardim Botânico Tropical, a casa geminada insere-se na encosta amena e sossegada do Bairro das Terras do Forno. Construído entre 1933 e 1938, ao abrigo do programa das Casas Económicas, o conjunto representa bem o entusiasmo patriótico das obras públicas do Estado Novo. Composto por moradias unifamiliares, o bairro inscreve na cidade o paradigma da aldeia, dissimulado em opções estilísticas conotadas de um certo ruralismo.
Ampliada em momentos anteriores, a casa apresentava-se espacialmente desconfigurada pela extensão do corpo principal e pela adição de novas volumetrias, agora anuladas. Sem alterar a organização funcional, o projecto redesenha os espaços, imprimindo à sua configuração original uma depuração da sua morfologia. Embora objecto de ligeiros desvios a partir do traçado da escada existente, os espaços sociais e os quartos mantêm a sua disposição.
No jardim, o alçado tardoz recebe um novo vão e admite o realinhamento dos vãos existentes. Contiguo, um novo corpo é adoçado e empresta ao eirado exterior um traçado mais regular. Entre a vegetação cerrada dos canteiros e o alçado redesenhado, descobre-se através de um pátio exíguo a nova construção, cuja presença se dissipa visualmente no desenho dos muros.
De carácter austero e despojado, o edifício reencontra nas materialidades o que pode ter sido a atmosfera original da casa. Os soalhos em madeira, bem como os pavimentos em mármore alongam-se em lambris ou rodapés, cujo desenho se estende às aduelas dos vãos. Trata-se de um trabalho de adequação, a que preside um exercício de síntese, do qual resulta também o vocabulário neutro e a presença discreta do mobiliário fixo, ajustado aos diversos espaços da casa.
Distante de uma atitude de ruptura com o passado, o projecto opera a partir da interpretação de um património investido de memória. A partir desta premissa procura-se restituir ao espaço e ao lugar uma certa forma de silêncio.

en

A short distance from the thick branches and treetops of the Tropical Botanical Garden, the two-family house is located on the pleasant and quiet slope of the Bairro das Terras do Forno district. Built between 1933 and 1938 as part of the Low-Cost Housing Program, the group is a good example of the patriotic enthusiasm of the public works of the Estado Novo period. Consisting of single-family dwellings, the neighbourhood brings a small-town touch to the city, with its rural styles.
Previously expanded, the house had lost its configuration as a result of the expansion of its main area and through the addition of new sections that have since been eliminated. Without changing its functional organization, the project has redesigned its spaces, purifying the morphology of its original configuration. Although subjected to slight deviations with respect to the layout of the existing stairway, the common areas and the bedrooms have kept the same layout.
In the garden, the rear elevation received a new embrasure and allows for re-alignment of the existing embrasures. Adjacent, a new body has been annexed and offers the outdoor terrace a more regular line. Between the close-knit vegetation of the flowerbeds and the re-designed elevation, the new construction can be discovered from a small patio, its presence blending into the design of the walls.
Austere and simple in nature, the building essentially recreates what may have been the original atmosphere of the house. The hardwood floors, along with the marble floors extend with sills or baseboards whose design extends to the voussoirs of the embrasures. This work involves adaptation with an overarching return to basics, which results in the neutral vocabulary and discreet presence of the fixed furnishings, adjusted to the various spaces of the house.
Far from breaking with the past, the project operates on the basis of interpreting a heritage imbued with memory. On the basis of this premise, the goal is to restore a certain form of silence to the space.