2013

House

Janeanes – Portugal

 

Author

João Branco / site

pt
O terreno, na zona de acesso, é um espaço acolhedor. As construções existentes e os muros de pedra convertem-no num lugar sombrio e confinado. Ao percorrê-lo, longitudinalmente para Oeste, a pendente é considerável, até chegar à parte mais alta, o jardim. Nesse ponto, despojado de limites, as montanhas longínquas são o único horizonte.
O encargo consistia em reconverter os edifícios de uso agrícola numa casa de fim-de-semana para uma família de quatro gerações. Por essa razão, o programa habitual de uma casa unifamiliar: sala de estar, sala de jantar, cozinha e cinco quartos, é organizado de forma a que cada espaço se possa utilizar com um certo grau de intimidade e independência. É de salientar ainda a exigência de uma biblioteca.
Os principais espaços da casa ocupam os antigos currais – quatro volumes pétreos e escuros, com aberturas muito pontuais, adjacentes mas sem comunicação entre eles, situados a cotas diferentes, seguindo a pendente do terreno, e orientados a Norte.
O projeto propõe duas operações fundamentais: em primeiro lugar um novo eixo longitudinal atravessa os vários edifícios existentes, como um corredor escavado na pedra que une os vários espaços. Em segundo lugar, dois novos pátios fazem chegar luz natural às partes mais interiores da casa.
A atuação completa-se com uma zona de comer exterior e uma piscina situados junta à Eira original, na parte alta do terreno, aproveitando as vistas e a melhor exposição solar.
Em todo o processo de trabalho esteve presente a ideia de contraste e surpresa ao opor um exterior que se mimetiza com a envolvente, pétreo e massivo, com um interior sóbrio, muito luminoso, delicado, inesperado na brutalidade da envolvente.

en
The access area of this site is a welcoming space as the existing buildings and stone walls convert it in a confined and shady location. As you course along westward, the slope to reach the highest part of the garden is considerable. At this point, stripped of limits, the distant mountains are the only horizon.
The task consisted in converting the agricultural use buildings in a weekend home for a four generation family. Thus, the usual program of a single-family house: living room, dining room, kitchen and five bedrooms, is organized so that each space can be used with a degree of intimacy and independence. To this program was also requested the addition of a library.
The main areas of the house occupy the old corrals – four stony and dark volumes, with very occasional openings, adjacent amongst but with no communication between them, located at different levels and following the slope of the land with North orientation. The project proposes two fundamental operations: first a new longitudinal axis that cuts across the various existing buildings, like a corridor carved in stone that unites the various spaces. Secondly, two new patios enable natural light to reach the innermost parts of the house.
The work is completed with an exterior dining area and a swimming pool located near the existing barn floor at the upper part of the land, taking advantage of the best views and most advantageous sun exposure.
Throughout the work process the idea of contrast and surprise was always present. An exterior that mimics the stony and massive surroundings is very distinct from the sober and very illuminated interior that offers a delicate unexpected encounter in contrast with the rough brutality of the circumambient.