Biogen Offices

Lisbon – Portugal

 

Authors

Pedra Silva Arquitectos / site

pt

A Biogen é uma das empresas de Biotecnologia mais antigas do mundo e é pioneira nas neurociências.
Em 2016 a equipa Pedra Silva Arquitectos desenvolveu o projecto dos seus escritórios em Lisboa, mas devido às novas necessidades e ao crescimento da equipa, em 2020 foi novamente solicitado uma reformulação ao espaço para aumentar a capacidade de colaboradores e espaço de reuniões.
O escritório é composto por dois pisos com programas distintos. O primeiro piso destina-se a espaços com carácter mais público, isto é, salas de reuniões para visitantes, auditório, copa e terraço. Já o segundo piso foi pensado para um espaço reservado aos colaboradores de Lisboa, composto por uma zona de trabalho em Open space, salas para reuniões informais e conferências telefónicas e uma quiet room. A alteração pretendida por parte do cliente, foi relocalizar salas de reuniões para o piso inferior para que fosse possível aumentar o número de postos de trabalho no open space.
O desafio deste projecto foi repensar o conceito do espaço, aproveitando ao máximo os elementos existentes e exigindo o mínimo de alterações possíveis, resultando num espaço sóbrio, dinâmico e coerente. Desta forma, tivemos como primeiro objectivo a introdução de cor no espaço com base na imagem de marca da empresa, de forma a suscitar o sentimento de identidade e pertença por parte dos colaboradores e visitantes.
No piso superior, onde se encontram as zonas de trabalho, o projecto prévio tinha demarcado 3 zonas distintas, o open space, um corpo central composto pelas salas de reunião, e um lounge. O corpo central tinha uma “pele” que dividia o open space e as salas de reuniões composta por painéis amovíveis com uma intervenção artística inspirada nas estruturas moleculares. Os painéis tinham também como intenção dar privacidade às reuniões. Com a reformulação do espaço, eliminou-se o lounge e relocalizou-se duas salas de reuniões para o piso inferior de forma a aumentar o número de postos de trabalho no open space. Com isto, resultou um volume composto pelas salas de reuniões existentes e zona de estar, no qual se destaca do restante espaço pela sua materialidade e cor. Este volume para além dos limites evidentes através da cor e materialidade, é definido pelas divisórias de vidro curvo resultando no dinamismo e movimento do espaço, juntamente com o tratamento gráfico inspirado em estruturas moleculares.
O piso inferior teve como alteração, relativamente ao projecto anterior, a zona da recepção, onde foram reposicionadas as salas de reuniões do piso superior. Estas salas foram pensadas com o mesmo conceito do piso superior, em que corresponde a um volume com uma materialidade e cor diferente, delimitado pelas divisórias de vidro curvo.
Comparando os dois projectos, toda a influência e interpretação das estruturas moleculares foram representadas de maneira diferente, em que no primeiro projecto fez-se ênfase com intervenções artísticas em elementos físicos, e neste projecto valorizou-se mais a transparência entre espaços e a iluminação natural, resultando em intervenções gráficas mais visuais e menos físicas.

en

Biogen is one of the world’s oldest Biotechnology companies and a pioneer is Neurosciences.
Pedra Silva Arquitetos developed their Lisbon offices in 2016 but the expansion of the team in 2020, together with new office needs, required the redesigning of an office space that would encompass the number of staff and meeting spaces.
The office comprises two levels with two distinct programs. The first level includes a public space with meeting pods for visitors, an auditorium, a kitchen, and terrace. The second level was designed with the Lisbon team in mind and comprises an open-space office, informal pods for meetings and teleconferences, and a quiet room. The client’s request to move the meeting rooms to the level below was to increase the number of workstations in the open space.
The main project challenge was to rethink the space concept whilst making use of the existing elements and least alterations possible, thus resulting in a dynamic, coherent, and solemn space. Our first objective was the introduction of colour based on the corporate image to evoke the idea of belonging from staff and visitors.
On the upper level, where workstations are located, the previous project had demarcated 3 distinct areas: an open space, a central component comprised of meeting rooms, and a lounge. The central component boasted a mobile panel featuring art inspired molecular structures that divided the open space from meeting rooms. These panels were intended to provide privacy to meetings. The redesign of the space meant eliminating the lounge and relocating two meeting pods to the lower level and increasing the number of workstations in the open space. This resulted in an area comprised of existing meeting rooms and living space, enhanced by its materiality and colour. The area is not only defined by colour and materiality, but also by its curved glass partitions, resulting in a dynamic space and art inspired molecular structure graphics.
The main alteration of the lower level compared to the previous project is the reception area, with repositioning of the meeting pods on the upper floor. These rooms were created on the same basis as the upper floor, paying close and thoughtful attention to materiality and colour, and divided by glass partition panels.
When comparing both projects, one can see that the influence and interpretation of molecular structures was represented differently. The first project emphasized artistic interventions in physical elements, whilst the second values transparency and natural lighting between spaces, resulting in visual graphic interventions.