2017

Apartment at Luciano Cordeiro

Lisbon – Portugal

 

Authors

Aurora Arquitectos / site

pt

Situado na rua Luciano Cordeiro em Lisboa, no último piso de um edifício dos anos 70, o apartamento original era marcado pela fraca qualidade construtiva e espacial. Em particular, o corredor que organiza todo o programa de habitação era demasiado comprido e escuro. Com essa consciência, a encomenda do cliente focou-se no desenho de uma biblioteca, com escritório, para a sua vasta colecção de livros e na transformação do corredor como elemento chave para resolver o díptico espaço de trabalho + espaço de habitação. Com a intervenção surgem novos elementos como a peça para pousar livros, que serve simultaneamente de banco de apoio à bilioteca, mesa de luz, armário, divisora e geradora do espaço em volta.

A distância, tanto física como psicológica, entre estes dois programas distintos é facilmente confundida como um problema de separação. Neste caso procura-se a sua compatibilização, conseguida através da criação de zonas de transição pontuadas por entradas de luz e pela utilização de diferentes materiais para o piso, que alterna entre a maciez do pinho e a resistência do lioz. O destaque dado à biblioteca, juntamente com a abundância de luz no corredor e a recriação no piso da mesma estereotomia para diferentes materiais, sugerem a diluição de dois tipos de apropriação da casa. Desta forma estamos perante a articulação das suas múltiplas narrativas e diferentes níveis de intimidade — para que o corredor possa ser o espaço para o neto andar de triciclo e, ao mesmo tempo, a viagem mais curta para o trabalho.

en

Located on Luciano Cordeiro in Lisbon, on the top floor of a 1970s building, the original apartment was characterized by poor construction and spatial quality. In particular, the corridor that organizes the entire housing program was too long and dim. With this awareness, the client’s commission focused on creating an office plus a library for its vast collection of books and to rehabilitate the corridor as a key element to solve the diptych workspace + housing space. After the intervention, new elements appear such as the central furniture to put books, which simultaneously serves as a bench for the library, a light table and a cabinet, dividing and generating the space around it.

The distance, both physical and psychological, between these two distinct programs is easily mistaken as a problem of separation. In this case, it is compatibilization we sought, achieved through the creation of buffer zones punctuated by light wells and the use of different materials for the floor, which alternates between the softness of the pinewood and the resistance of the lioz marble. The emphasis given to the library, along with the abundance of light in the corridor and the recreation of the same pattern for different materials on the floor, suggest the dilution of two types of usage. In this way, we are faced with the articulation of their multiple narratives and different levels of intimacy – so that the corridor can be the space for the grandchild to ride a tricycle and, at the same time, the shortest commute to work.